Congregação Israelita da Nova Aliança de Itabuna - BA

Parashá Mikêts - Genesis 41:1-44:17

Mikêts inicia-se com o famoso sonho do faraó sobre sete vacas esqueléticas devorando sete vacas gordas, seguido por sete magras espigas de cereal devorando sete espigas saudáveis.
Quando seus conselheiros e necromantes foram incapazes de resolver adequadamente a intrigante charada, o faraó chamou Yossef, que havia estado na prisão por sete anos, para interpretar seus sonhos. Creditando seu poder de interpretação unicamente a D'us, Yossef diz ao faraó que, após viverem sete anos de extraordinária abundância nas colheitas, o Egito seria assolado por sete anos de uma escassez devastadora.
Yossef aconselha o faraó a procurar um homem sábio para presidir a coleta e o armazenamento de grande quantidade de alimentos durante os anos de fartura. Impressionado pela brilhante interpretação, o faraó designa o próprio Yossef para ser o vice-rei do Egito, fazendo dele o segundo homem na hierarquia do país.
A mulher de Yossef, Asnat, dá à luz dois filhos, Menashê e Efraim, e os anos de fartura e escassez acontecem como Yossef havia predito. Com a fome abatendo também a terra de Canaan, os irmãos de Yossef vão ao Egito para comprar alimentos. Como não reconhecem seu renomado irmão, Yossef põe em ação um plano para determinar se eles se arrependeram totalmente pelo pecado de tê-lo vendido quase vinte anos atrás.
Yossef age com indiferença e os acusa de serem espiões, mantendo Shimon como refém, enquanto o restante dos irmãos retorna com os alimentos para Canaan. Yossef, ainda não sendo reconhecido, conta-lhes que Shimon será libertado apenas quando retornarem ao Egito com o irmão mais novo. Relutante a princípio, mas confrontado pela escassez crescente, Yaacov finalmente concorda em permitir aos filhos que levem Binyamin com eles. Ao chegarem ao Egito, Yossef testa ainda mais os irmãos, tratando bem a todos, mas mostrando um grande favoritismo por Binyamin.
Quando os irmãos finalmente voltam para casa com os baús repletos de cereais, Yossef esconde sua taça na sacola de Binyamin e este é acusado de ter roubado o precioso objeto.
A porção termina com a ameaça pendente de que Binyamin será feito escravo do governante egípcio

http://www.pt.chabad.org

Meditação - Egoísmo ou sabedoria!

Opinião: Egoísmo ou sabedoria!

Manter uma opinião a qualquer custo, não ser humilde, não reconhecer o erro...é certo? Como ser sábio, nestes casos?

Sabemos que, em nome da unidade ou mesmo de um bom relacionamento, muitas vezes é preciso ceder. Todavia, há casos em que temos que ser irredutíveis e aí precisamos de muita segurança no que pensamos ou fazemos.

Num casamento, por exemplo, é muito difícil ou quase impossível encontrarmos alguém que feche totalmente com a gente. A melhor coisa é, se não disposição para concessões, não se casar. Na minha experiência, ceder é uma boa solução. 
No meu ponto de vista, casamento é a arte de fazer o outro feliz!

Naamã, o general sírio, por sua alta posição, se mostrou humilhado e inflexível, ao recusar banhar-se no Jordão para ser curado da lepra. No entanto, ouviu um sábio conselho de seus homens e foi vitorioso. Aí estava o segredo!

“Então, se chegaram a ele os seus oficiais e lhe disseram: Meu pai, se te houvesse dito o profeta alguma coisa difícil, acaso, não a farias? Quanto mais, já que apenas te disse: Lava-te e ficarás limpo. Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, consoante a palavra do homem de Deus; e a sua carne se tornou como a carne de uma criança, e ficou limpo.” Reis 5:13, 14

Se ele tivesse mantido seu ego, teria se dado mal! Herodes, não teve a mesma sorte e, para manter a palavra de rei e seu ego, degolou a João Batista! Fez bem? Julgue.

Nós, muitas vezes, agimos egoisticamente e, por coisas mínimas (mas que, cegamente as vemos enormes), perdemos grandes bênçãos e ainda plantamos o mal para futuras colheitas indesejáveis.

O moço da parábola disse ao pai que não iria trabalhar na vinha. Mais tarde, refletiu e foi. Ele obviamente mentiu, voltou atrás, mas fez a coisa certa.

“E que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Chegando-se ao primeiro, disse: Filho, vai hoje trabalhar na vinha. Ele respondeu: Sim, senhor; porém não foi. Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a mesma coisa. Mas este respondeu: Não quero; depois, arrependido, foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram: O segundo. Declarou-lhes Jesus: Em verdade vos digo que publicanos e meretrizes vos precedem no reino de Deus.” Mateus 21:28

Sejamos sábios: Procuremos ouvir SEMPRE bons conselheiros!

“Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança.” Provérbios 11:14
Com medidas de prudência farás a guerra; na multidão de conselheiros está a vitória.” Provérbios 24:6

Nunca é demais, em nossos posicionamentos, ouvirmos conselhos de outras pessoas, experientes e que tem outra visão da situação. Mas o coração de pedra, egoísta e irreversível não nos permite espaço para a humildade. Mais tarde vamos ver as consequências destes momentos e atitudes de insanidade:

“Para com o benigno, benigno te mostras; com o íntegro, também íntegro. Com o puro, puro te mostras; com o perverso, inflexível.” Salmo 18:25, 26

No, entanto, quando lidamos com gente endurecida, temos que responder à altura, todavia, sempre, sempre ouvindo conselhos sábios:

“Para com o benigno, benigno te mostras; com o íntegro, também íntegro. Com o puro, puro te mostras; com o perverso, inflexível. Porque tu salvas o povo humilde, mas os olhos altivos, tu os abates.” Salmo 18:25-27

Infelizmente, conheço muitas pessoas assim. Gente boa, mas que tem um futuro incerto e tenebroso; que perderá tudo, por que age por seu próprio coração! 

Esta é a meditação de hoje!

Rosh Yishai Ben Yehudah

Parashá Vayêshev - Genesis 37:1-40:23


A Parashá Vayêshev inicia descrevendo o grande amor de Yaacov por seu filho Yossef, o que acaba provocando o ódio de seus irmãos. O ciúme deles cresce quando Yossef lhes conta os dois sonhos que indicam que eles serão um dia subservientes a ele.

Yaacov envia Yossef para vigiar seus irmãos que estão guardando o rebanho longe de casa, e ao vê-lo se aproximar, planejam matá-lo. Reuven convence os irmãos a não matarem Yossef, mas é incapaz de salvá-lo totalmente quando os irmãos vendem Yossef como escravo no Egito. Após mergulhar o casaco de Yossef em sangue, eles voltam ao pai, que acredita que seu amado filho foi morto por um animal selvagem.

A Torá faz uma digressão para relatar a história de Yehudá e sua nora, Tamar.

A narrativa volta-se então para Yossef no Egito, onde se torna um escravo que obtém sucesso e é encarregado dos negócios da família de seu amo Potifar. A esposa de Potifar tenta de todas as formas seduzir Yossef, que resiste sempre ao assédio. Ao sentir-se recusada, ela grita dizendo que ele tentou violentá-la.

Yossef é jogado na prisão onde novamente é alçado a uma posição de liderança, desta vez ficando encarregado dos prisioneiros. Dez anos depois, o mordomo chefe do faraó e o padeiro são jogados na mesma prisão. Certa noite eles têm um sonho intrigante, que Yossef interpreta de forma acurada, e a porção conclui quando o mordomo retorna a seu cargo antigo e o padeiro é executado, como Yossef havia predito.

 http://www.pt.chabad.org

Parashá Vayigash - Genesis 44:18-47:27

A Parashat Vayigash começa com a súplica ardorosa de Yehudá ao poderoso governante egípcio (Yossef ainda disfarçado) pela vida de Binyamin, alegando que Yaacov certamente morreria de dor se perdesse seu filho mais jovem.
Yehudá se oferece para permanecer no Egito como escravo no lugar do irmão mais novo.
>Yossef então decide revelar sua identidade a seus atônitos irmãos, perdoando-os por vendê-lo como escravo anos antes, declarando que enviá-lo ao Egito era parte do plano Divino de preparar a sobrevivência na época de escassez.
Yossef então os envia de volta para a Terra de Israel carregados de presentes pedindo que tragam Yaacov e sua família para o Egito onde viveriam na província de Goshen. Antes que Yaacov partir, D'us aparece a ele reafirmando-lhe que Ele os acompanhará e que ao final retornarão à Terra de Israel como uma grande nação.
Após vinte e dois anos de separação, Yaacov finalmente se reúne com seu amado filho Yossef, e juntos vão ao encontro do Faraó.
A porção termina descrevendo como Yossef usou seus vastos poderes para amealhar quase toda a riqueza do Egito para o tesouro do Faraó.

Shalom Amigos! Receba Novidades Por email!

DIGITE SEU EMAIL

Após a inscrição confirmar na sua caixa o e-mail recebido !

 
© 2009 BEIT ITABUNA